terça-feira, 14 de outubro de 2008

Cai-cai leva Duque de Caxias ao STJD


Polêmica na Série C pode tirar ponto do clube carioca e ainda multá-lo por, no mínimo, R$10mil

ALINE PEREIRA

Depois de ser apontado como um dos fortes candidatos a subir para a Série B do Campeonato Brasileiro, o Duque de Caxias terá um grande problema a enfrentar na próxima sexta-feira, dia 17 de outubro, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O clube, o seu técnico, Marcelo Buarque, e mais cinco jogadores sentarão no banco de réus do Tribunal para responderem por expulsões e pelo suposto “cai-cai” ocorrido no jogo contra o Rio Branco/AC, pelo octogonal final da competição nacional.

De acordo com a súmula do jogo, o jogador Celso Cardoso de Moraes foi expulso aos 17 minutos do segundo tempo por dar um tranco nas costas de seu adversário. Devido a isso, foi denunciado por infração ao artigo 255 (Praticar ato de hostilidade contra adversário ou companheiro de equipe) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que prevê a pena de uma a três partidas.

O segundo expulso do jogo foi o jogador Douglas Alvarenga Carvalho da Silva. Ele foi mais cedo para o vestiário, aos 19 minutos do segundo tempo, por ter se dirigido à torcida fazendo gesto característicos de roubo. O jogador responderá ao artigo 258 (Assumir atitude contrária à disciplina ou à moral desportiva, em relação a componente de sua representação, representação adversária ou de espectador) do CBJD, que prevê como pena a suspensão de uma a dez partidas.

A terceira expulsão do Duque de Caxias aconteceu quase no final do jogo. Renato Moura Bastos foi expulso aos 37 minutos do segundo tempo por ter reclamado de uma suposta falta que não foi marcada ao seu favor, proferindo as seguintes palavras para o árbitro: “ P...marca essa p...direito o c...”. Renato será julgado por infração ao artigo 251 (Reclamar, por gestos ou palavras, contra as decisões da arbitragem ou desrespeitar o árbitro e seus auxiliares) do CBJD, e pode pegar o gancho que varia de uma a quatro partidas.

Após a expulsão de Renato, ainda aos 37 minutos, os jogadores Rafael Carvalho Borges e Edivaldo Medeiros da Silva pediram atendimento médico. Após isso, os jogadores receberam ordens do técnico Marcelo Buarque para ficarem no chão, fato que foi presenciado pelo árbitro e pelo seu assistente número um. Eles foram avaliados pelo médico do Duque de Caxias, que afirmou que os mesmos não teriam condições de jogo.

Ainda de acordo com o relator da súmula, o árbitro da partida informou ao capitão do time do Duque de Caxias que iria aguardar o tempo regulamentar, pois a equipe não tinha o número mínimo de atletas para continuar o jogo. Após 20 minutos, a equipe da arbitragem pediu para o médico um parecer sobre as condições dos atletas, pois ambos caíram sem que houvesse um contato físico.

Devido a isso, os dois jogadores e o técnico do clube carioca terão que responder ao artigo 256 (Desistir de disputar partida, depois de iniciada, por abandono de campo, simulação de contusão, ou tentar impedir, por qualquer meio, o seu prosseguimento) do CBJD, no qual a pena é de 120 a 360 dias de suspensão. O técnico ainda foi denunciado no parágrafo único, que diz: Se a infração for praticada em virtude de cumprimento de ordem superior, ficará o autor da ordem sujeito à pena de suspensão de um a quatro anos.

O clube também terá que responder pelo suposto “cai-cai”. A Procuradoria enquadrou o Duque de Caxias no artigo 205 (Dar causa à não realização ou impedir o prosseguimento de partida, prova ou equivalente que estiver disputando, por simulação de contusão, por insuficiência numérica intencional de seus atletas ou por qualquer outra forma) do CBJD, no qual a pena prevista é grave. O clube pode levar multa que varia de R$ 10mil a R$ 200mil, além da perda de pontos em disputa a favor do adversário, na forma do regulamento, e proibição de participar do subseqüente campeonato, torneio ou equivalente da mesma modalidade.

Vale ressaltar que o clube é o quarto colocado na tabela do octogonal final do Campeonato Brasileiro da Série C, somando quatro pontos. Além de poder perder o ponto que conquistou no empate com o Rio Branco por 2 a 2, o time pode não contar com os jogadores Rafael e Edivaldo e com o técnico para esse Brasileiro. Já em relação aos três expulsos, Douglas, Renato e Celson, talvez possam enfrentar o Campinense, no dia 19 de outubro, pois já cumpriram a suspensão automática contra o Guarani, no dia 11.

Nenhum comentário: