sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Globo desiste de achar novo locutor para quando Galvão se aposentar

 Globo desiste de achar novo locutor para quando Galvão se aposentar

Foram quase dois anos promovendo oficinas de locutores, enviando olheiros a afiliadas e concorrentes e até estimulando alguns programas a ter um quadro em que os telespectadores narrassem seus gols preferidos e enviassem para a produção.
O motivo de todo esse trabalhão atende pelo nome de Galvão Bueno. Isso mesmo, crianças, dentro de dois anos Galvão deve se aposentar da Globo. Emissora prevenida que é, a Globo há mais de dois anos corre atrás de uma nova voz, de um novo talento que, talvez, pudesse substituir o carisma e a afinidade que Galvão tem com o telespectador...
PERALÁ...
O leitor supercrítico já deve estar fazendo muxoxo na frente do computador e exclamando: "Mas do que esse colunista biruta está falando? que @%$#@! de carisma e afinidade com o telespectador o Galvão tem? Ele é um mala! Um chatonildo". Bem, isso é meia verdade, meu crítico e leitor boca-suja. Galvão é alvo de chacotas e críticas quase que só aqui no Sudeste, ou entre parte da mídia ou ainda para telespectadores que abominam seu ufanismo e trejeitos narrativos. No entanto, pesquisas internas qualitativas feitas na Globo apontam-no como locutor mais querido do país --inclusive e especialmente pelas mulheres (algumas chegam a afirmar que só entendem futebol quando ele, Galvão, está narrando).
EIS O MOTIVO...
.... de Galvão ser tratado como príncipe na Globo. Na última Olimpíada de Londres, por exemplo, na qual ele viajou apenas dar o ar de sua graça, uma vez que a Globo não tinha os direitos de transmissão, a emissora chegou a escalar uma espécie de "concierge", motorista e "mordomo" exclusivo para o locutor ter mais conforto em Londres.
E A SOLUÇÃO?
Bem, quem não tem Galvão caça com o que tem. Conforme esta mesma coluna antecipou em novembro do ano passado, o locutor Milton Leite (SporTV) já está colocando o gogó de fora na Globo, sendo em muitos casos já o locutor nº 1 da emissora. A preferência, aliás, estaria causando ciumeirinha entre outros locutores da casa, que se acham preteridos. Mas lembrem-se que o rei ainda é Galvão. Pelo menos até a Copa de 2014, que é dele. Depois dela, reza a lenda, se aposentará das narrações.

RICARDO FELTRIN
COLUNISTA DO "F5"
 
 



Nenhum comentário: