quarta-feira, 6 de novembro de 2013

CBF dobra repasse a federações estaduais

Na reta final da eleição, a CBF decidiu aumentar o repasse financeiro para as federações estaduais. O valor enviado pela confederação aos comandantes das entidades subiu de R$ 50 mil para R$ 100 mil a partir de outubro. 

O aumento foi informado aos cartolas pelo presidente da CBF, José Maria Marin, que tenta viabilizar a candidatura de Marco Polo Del Nero para sucedê-lo. As eleições na entidade estão marcadas para abril. Del Nero é vice-presidente da entidade que controla o futebol no país e comanda também a federação paulista. 

O repasse mensal da CBF às federações é identificado na rubrica Paf (Programa de Assistência às Federações) pela confederação. 

Os oposicionistas classificam o programa como uma espécie de "mensalinho", que serviria para obter o apoio dos cartolas das federações. No colégio eleitoral da CBF, eles são maioria, com 27 dos 47 votos em jogo. Os votos restantes são dos 20 clubes que disputam o Campeonato Brasileiro deste ano. Inicialmente, os repasses dobrados serão enviados por Marin até dezembro. 

Há menos de dois anos, o repasse para os cartolas estaduais era de cerca de R$ 30 mil. Desde a renúncia de Ricardo Teixeira, que deixou o poder em março do ano passado, Marin decidiu aumentar a verba. No ano passado, a CBF repassou, por meio do Paf, oficialmente R$ 27 milhões para as federações. 

O valor foi 62,79% superior ao enviado por Teixeira aos mesmos cartolas em 2011. A confederação, por meio de sua assessoria, informou nesta terça-feira que o aumento do Paf seis meses antes do pleito "é um assunto interno, tratado em assembleia". 

O Senado arquivou, nesta terça, o pedido de abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a CBF e as federações estaduais. Nove parlamentares retiraram suas assinaturas do requerimento feito pelo senador Mário Couto (PSBD-PA). "O governo e a CBF jogaram duro, e os senadores recuaram. 

Queríamos investigar essa relação que permite a perpetuação do poder nas federações. É uma pena", lamentou o senador. Na semana passada, ele havia conseguido 34 assinaturas, mas apenas 25 mantiveram o apoio. Para se aprovar a abertura de uma CPI, é necessário o apoio de pelo menos 27 senadores. 

Fonte: Folha Online

Nenhum comentário: