sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Simon Escalado entre os 30 árbitros que apitarão a Copa

A Comissão de Árbitros da Fifa se reuniu nesta sexta-feira em Zurique e elegeu os 30 árbitros, procedentes de 28 países, que apitarão durante a Copa do Mundo da África do Sul, entre os dias 11 de junho e 11 de julho. O único trio brasileiro será comandado por Carlos Eugênio Simon, um dos seis representantes da Conmebol escalados para o torneio.

Ao lado de Simon, os outros dois brasileiros serão os assistentes Altemir Hausmann e Roberto Braatz. Os trios de arbitragem serão fixos durante o torneio.
Caminhando para seu terceiro Mundial seguido, Carlos Simon deve se aposentar da arbitragem após o torneio na África do Sul. Em entrevista ao UOL Esporte no início do ano, o árbitro gaúcho disse que “se meu nome for confirmado, paro na Copa do Mundo”.
Na mesma entrevista, Simon disse que após se aposentar como árbitro teria duas opções para o futuro. Amigo íntimo e ex-governador do Rio Grande do Sul, Olívio Dutra convidou Simon para concorrer a uma vaga de deputado federal no Rio Grande do Sul. O juiz não deu a resposta final e vê com bons olhos o caminho da política. Outra alternativa seria exercer sua faculdade de jornalismo, atuando como comentarista de televisão.
O brasileiro é um dos seis representantes da Conmebol (Confederação Sul-Americana) no torneio. O restante da divisão dos árbitros por confederação ficou assim: a Uefa (Europa) terá 10 representantes; a Concacaf (América Central e do Norte), a CAF (África) e a AFC (Ásia) terão quatro cada uma; a OFC (Oceania) terá dois.
A Fifa também implementou um programa para garantir que os árbitros cheguem ao torneio na melhor condição possível. Há três anos, em 2007, um grupo de 54 trios de arbitragem do mundo inteiro iniciou preparativos para o campeonato depois que o Comitê Executivo da Fifa criou o Programa de Assistência à Arbitragem (RAP), com o objetivo de preparar os candidatos para apitar partidas do Mundial.

Composto por uma equipe experiente em técnicas de arbitragem, condicionamento físico e psicológico, o RAP controlou e analisou todas as informações sobre os árbitros candidatos com a ajuda de cada confederação.

Das agências internacionais
Em Madri (Espanha)

Nenhum comentário: