sexta-feira, 15 de abril de 2011

Em vendas de camisas, Ronaldinho vale mais no Fla do que título brasileiro

Mauricio Val/Vipcomm

O Flamengo ainda não empolgou com Ronaldinho Gaúcho em campo, mas fora dele o camisa 10 já dá resultados. Os resultados de vendas de camisas do clube rubro-negro no primeiro trimestre foram levemente superiores aos de 2010, quando o clube vinha de um título brasileiro que não conquistava há 17 anos.

CAMISAS POLUÍDAS DOS TIMES PAULISTAS

  • UOL O fenômeno não é recente, mas ganhou ainda mais espaço nas últimas semanas. Com as recentes parcerias do São Paulo, último a aderir à prática, os uniformes dos grandes clubes paulistas se transformaram em verdadeiros macacões de Fórmula 1, recheados de patrocinadores em todos os locais. Se a o dinheiro levantado compensa, a poluição faz o torcedor lembrar-se da época em que as camisas eram limpas.
Os números absolutos não são divulgados pela Olympikus, fornecedora de material esportivo do clube da Gávea. Os resultados de 2011, no entanto, surpreendem.
Apesar do furor causado por Ronaldinho não ser exatamente uma novidade, a comparação com o início de 2010 é inevitável. Na época, além da esteira do título nacional, o Flamengo havia acabado de contratar Vagner Love, montando o Império do Amor, que fracassaria em campo.
Mais do que isso, a “herança” da última temporada também poderia atrapalhar os dirigentes neste ano. Em 2010 o Flamengo viu seus dois maiores astros prestarem depoimentos à polícia por envolvimento com traficantes, o goleiro e capitão ser preso acusado de homicídio e brigou contra o rebaixamento até as rodadas finais.
O único ponto favorável à 2011 na balança, além do elenco estrelado do Flamengo, é o uniforme limpo. O clube ainda não arrumou patrocinadores que possam bancar Ronaldinho Gaúcho e companhia, e por isso segue vendendo sua camisa “lisa”.
Na visão da Olympikus, esse é um dos fatores que pode explicar o sucesso de vendas do uniforme rubro-negro no ano.

Nenhum comentário: