quarta-feira, 1 de junho de 2011

Blatter é reeleito presidente da Fifa em meio a escândalos de corrupção

Michael Probst/AP Como já era esperado, Joseph Blatter assegurou mais um mandato de quatro anos como presidente da Fifa. Candidato único ao cargo, o suíço confirmou sua reeleição nesta quarta-feira, durante o 61º Congresso da entidade, realizado em Zurique (Suíça). No total, foram computados 203 votos - 186 deles para Blatter.


Este será o quarto mandato de Blatter como presidente da Fifa. Das 208 associações nacionais filiadas à Fifa, apenas cinco não votaram ou estiveram ausentes. "Agradeço a todos do fundo do coração por sua confiança. Teremos quatro anos para continuarmos nosso caminho e fazer nosso trabalho. Fico feliz por termos sido capazes de restabelecer a solidariedade e a unidade que nos permitem um grande valor e atitude positiva para seguir em frente", afirmou o suíço, logo após a confirmação do resultado.
O dirigente teria Mohammed Bin Hammam como concorrente. No entanto, o presidente da Confederação Asiática (AFC) retirou sua candidatura no fim de semana. O qatariano, suspeito de envolvimento no escândalo de compra de votos na eleição presidencial, foi suspenso de todas as atividades ligadas ao futebol.
Blatter, de 75 anos, ocupa a presidência da Fifa desde 1998, quando sucedeu o brasileiro João Havelange no cargo. Devido aos escândalos de corrupção que vieram à tona recentemente, a Federação Inglesa (FA) pediu o adiamento da eleição desta quarta-feira. No entanto, a proposta foi rejeitada por 172 votos a 18, em uma demonstração de força do suíço.
O Congresso da Fifa foi marcado pelos escândalos que assolaram a entidade nas últimas semanas. O próprio Blatter foi acusado de compra de votos para assegurar sua reeleição. No entanto, o suíço foi inocentado pelo comitê de ética da entidade e teve o caminho livre para se reeleger.


A Fifa também enfrenta acusações de suborno no processo de escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 (Rússia) e 2022 (Qatar). Nesta semana, Jack Warner, presidente da Concacaf, divulgou um e-mail que recebeu de Jérôme Valcke, secretário geral da Fifa, sobre o assunto.
No e-mail, Valcke sugeriu que o Qatar teria comprado o direito de organizar o Mundial-2022. O secretário geral da Fifa admitiu ter falado sobre o assunto com Warner, mas disse que tratou do caso “em tom menos formal”. O presidente da Concacaf, assim como Bin Hammam, foi suspenso após ser acusado de participar de um esquema de compra de votos na eleição presidencial da Fifa.

Das agências internacionais
Em Zurique (Suíça)

Nenhum comentário: