sexta-feira, 24 de junho de 2011

'Cansando da bola', R10 cogita aposentadoria após título de expressão pelo Flamengo

O contrato de Ronaldinho com o Flamengo vai até dezembro de 2014, mas não será surpresa se a separação ocorrer antes do previsto. A parceria com a Traffic, empresa de marketing esportivo, viabilizou o sonho da presidente Patricia Amorim em ver o astro vestindo a camisa rubro-negra. O momento “lua de mel” passou e uma série de acontecimentos contribui para que o craque, eleito duas vezes o melhor jogador do mundo pela Fifa, repense a data na qual irá parar de jogar futebol.

O patrulhamento da sua vida pessoal e a cobrança cada vez mais intensa são os principais motivos. Segundo apurou o UOL Esporte, aposentar-se ao final deste ano já foi uma hipótese cogitada por Ronaldinho e revelada em conversas recentes com amigos. O jogador afirmou estar “cansando da bola e sua rotina”. Realizado financeiramente, ele dificilmente terá espaço na seleção do técnico Mano Menezes e estuda como dar um novo rumo na carreira.
No entanto, “parar por cima” é uma obsessão do camisa 10. Apesar do mau momento, Ronaldinho, aos 31 anos, tem em mente levar o Flamengo ao título brasileiro. Ele sabe que sua contratação foi baseada na esperança de conquistas expressivas. Caso aconteça, poderá renegociar os seus compromissos e se retirar do futebol.
Por mais que seja um desejo futuro, desvincular-se não será tão simples assim. A Traffic precisa ver retorno no investimento e só com Ronaldinho em campo reúne condições para resolver a questão. Por outro lado, a família é dependente de suas finanças e não faz parte dos planos abrir mão do salário de R$ 1 milhão recebido no Flamengo.

COMO R10 CHEGOU AO FLA E DETALHES DO CONTRATO

Alexandre Vidal/Fla Imagem
Há duas semanas, Ronaldinho chegava a Londrina para se juntar aos novos companheiros de time e realizar a parte final da pré-temporada pelo clube que contratou aquele que já foi eleito duas vezes pela Fifa o melhor do mundo. Os primeiros dias do ídolo no Flamengo mostraram que o ambiente mudaria e uma nova atmosfera passaria a cercar o clube mais popular do país.
O clube tenta blindá-lo de todas as formas. Antes, as noitadas não incomodavam ao técnico Vanderlei Luxemburgo e diretoria. Agora, uma conversa com Assis, irmão e empresário, já foi realizada para tentar contornar a situação. A importância de Ronaldinho no Flamengo atual vem sendo discutida pelos dirigentes. Alguns acreditam que precisa existir um comprometimento absoluto com o clube, já que além da dependência dentro das quatro linhas, questões de mercado estão ligadas ao nome do craque. No momento, as principais são: a negociação de um patrocinador master e a venda de produtos licenciados.
Luiz Augusto Veloso, diretor executivo de futebol do Flamengo, convive diariamente com Ronaldinho. O dirigente não imagina uma aposentadoria precoce. Entretanto, reconhece que uma pressão exagerada pode desmotivar o jogador aos poucos.
“Nunca parei para pensar nisso (aposentadoria de Ronaldinho). Não sei o que pode acontecer. A impressão de vestiário que ele passa é muito positiva. Será que o Ronaldinho estaria preparado para perder o futebol? Hoje, o Romário já é outro cara mesmo com toda a personalidade. Continua popular, mas não é o centro das atenções como era quando jogava. O Ronaldinho é isso atualmente. Tudo gira em torno dele e contribui para enorme repercussão. Pode ser que esse controle todo em cima o desmotive. Mas não acho que ele abriria mão do que ganha por ano em todos os contratos. Não tenho condições de imaginar essa situação no momento”, comentou o dirigente.
A reportagem procurou Assis, irmão e empresário de Ronaldinho, para falar sobre o caso. Mas ele não atendeu e nem retornou às ligações em seu telefone celular.

Vinicius Castro

Nenhum comentário: