segunda-feira, 4 de julho de 2011

Rio Branco vence e garante bicampeonato














Depois de três derrotas seguidas em clássicos, duas delas para o seu maior rival (Juventus), ainda na fase eliminatória, o Estrelão deu a volta por cima e conquistou em grande estilo o bicampeonato acreano.

O triunfo veio neste domingo, no estádio Arena da Floresta, no segundo e decisivo jogo das finais contra o Plácido de Castro, com um gol do atacante Juliano César, aos 5'da etapa inicial. Esse foi 27º título estadual do Estrelão durante seus 91 anos de existência.

Os dois times havia empatados (1 a 1) no primeiro jogos das finais ocorrido na última quinta-feira, assim entraram no gramado em condições de igualdade.

Nas arquibancadas, as duas torcidas deram um show de cores, cartazes, fogos de artifícios, bandeiras e muita alegria. O público oficial presente ao estádio foi 4.095 presentes [havia mais de cinco mil presentes], assim proporcionando uma renda de R$ 28.835,00.

Com a conquista do Estadual, o Rio Branco garantiu a vaga acreana na próxima edição da Copa do Brasil. O clube ainda recebeu uma cota de R$ 30 mil reais e o troféu de campeão in-memória ao ex-jogador Escapulário, falecido no início dos anos, vítima de uma cirrose. Já o Plácido de Castro com o vice-campeonato terá o direito de representar o futebol local na disputa do Campeonato Brasileiro da Série D/2011.

Conforme convênio assinado mês passado, o Plácido de Castro vai receber investimentos do governo do Acre o valor R$ 300 mil por ser representante acreano na quarta divisão. Como o Estrelão está na Série C, vai receber R$ 450 mil. Os valores são para custear, entre outras despesas, passagens aéreas, hospedagens e salários.

JOGO

Com a bola rolando para 23ª decisão do Campeonato Acreano de Profissionais, o Estrelão não quis dá sopa ao azar. Pedro Balú fez boa jogada pelo lado direito e mandou a bola para a área. O oportunista atacante Juliano César se antecipou a defesa placidiana e testou no canto esquerdo do goleiro Máximo, que nada pode fazer. Estrelão na frente.

Com o Rio Branco marcando forte, o Plácido de Castro tinha dificuldade para chegar ao gol estrelado. Numa bola parada aos 22', enfim, o Tigre chegou com perigo. Porém, o goleiro Rafael Cordova trabalhou bem, salvando seguidamente em dois lances o empate placidiano, após chute de Zico.

O Rio Branco respondeu bem com o atacante Araújo. O artilheiro da equipe na temporada com oito gols entrou em velocidade, mas o goleiro Máximo saiu bem e ficou com a bola, aos 25'.

Um minuto depois, Paulo Krauss dominou e soltou o pé. O goleiro Máximo trabalhou bem e fez outra boa defesa.

O Plácido de Castro trabalhou bem a bola e o volante Batista enxergou o deslocamento de Zico por trás da defesa estrelada e fez a assistência aos 35'. O atacante placidiano se esticou e desviou para o gol, mas o goleiro Rafael Cordova, ligado no jogo, fez outra grande defesa.

Três minutos depois, numa jogada rápida, Rossini ganhou de Tiago e serviu Paulo Krauss. O atacante acertou um bom chute e fez o goleiro Máximo a trabalhar novamente.

O Rio Branco retornou do intervalo com o lateral esquerdo Ananias no lugar de Rogério, que sentiu um problema muscular. A substituição não modificou em nada o sistema defensivo do técnico Everton Goiano.

Pouco criativo, o Plácido de Castro encontrava muita dificuldades para criar situações de gols. O Rio Branco marcava forte e era perigoso nos contragolpes.

O jogo aéreo era uma boa opção de ataque para o time estrelado. Aos 19', o zagueiro Rodrigão ganhou no alto e fez o goleiro Máximo trabalhar novamente. Um minuto depois, o técnico Everton Goiano acabou expulso a pedido do quarto árbitro Fabio Santana, por reclamação.

Sem espaço e bem marcados, os atacantes Nilton Goiano e Zico quase não tiveram chance reais de gols. Numa das poucas chances, Tiago fez boa jogada pelo lado esquerdo e mandou a bola para a área. O atacante Nilton Goiano chegou na bola, mas a conclusão saiu fraca, aos 27'.

O Estrelão poderia ter ampliado aos 30'. Os jogadores Tiago e Anderson bateram cabeça no lance e a bola sobrou para Juliano César. O atacante ficou no cara crachá com o goleiro Máximo, mas o arqueiro fechou bem o ângulo e interceptou bem a conclusão.

Sem poder de reação o Plácido de Castro quase levou dois gols nos minutos finais. Porém, o goleiro Máximo apareceu novamente bem e fez duas grandes defesas. Na primeira, o atacante Araújo testou para o gol, enquanto a segunda, numa saída arrojada nos pés do meia Rossini, o goleiro placidiano evitou novamente a queda de sua baliza. Os dois lances valeram inúmeros votos na escolha do melhor da posição.

FICHA TÉCNICA
Rio Branco 1 x 0 Plácido de Castro
Local: Estádio Arena da Floresta
Árbitro: Carlos Santos
Assistente 1: Civaldo Neri
Assistente 2: Justino Aprígio
Gol: Juliano César (RBFC)
Público: 4.095 presentes
Renda: R$ 28.835
CA: Wendell, Rodrigão, Rogério, Juliano, Paulinho Pitbull, Paulo Krauss e Ismael (RBFC); Anderson, Douglas e George (PC).
Rio Branco
Cordova, Balú, Wendell, Rodrigão e Rogério (Ananias), Paulinho Pitbull, Ismael, Rossini e Juliano César, Paulo Krauss e Araújo. Técnico: Everton Goiano.
Plácido de Castro
Máximo, Anderson, Ray Manaus, Dieguinho, Batista (George), Douglas (Hamilton), Irís, Renan Carioca (Renan Plácido), Tiago; Nilton Goiano e Zico. Técnico: Luís Carlos.
Fonte: Manoel Façanha
 

Um comentário:

Mário Dias disse...

Parabéns RBFC!
Parabéns Federação AC, Pelo campeonato competitivo, é isso que o torcrdor quer. Sim, mas pára ai! Fizeram "cagada" na final... O que acorreu nas bilheterias da Arena da floresta foi bricadeira. A imprensa não fala nada, ou não presenciaram? Faltou ingresso. Sabe o que aconteceu? OS TORCEDORES, mais de 500 entraram na marra. Pura desorganização da Federação, RBFC e Adm da Arena. O pau quebrou! Advinha? Não tinha um PM na portaria e os seguranças não aguentaram e cederam.
Espero que pra série C melhore. Abram essas entradas, só tinha uma. façam ingresso de sobra. QUEM VEM DE FORA LEVA UMA PÉSSIMA IMPRESSÃO DO FUTEBOL LOCAL E DE SEUS DIRIGENTES.