sexta-feira, 15 de julho de 2016

De Tyson a Maradona: 10 atletas que perderam fortunas e ficaram falidos


 

 Mike Tyson

“Sou muito perigoso com dinheiro, às vezes tóxico”. Este comportamento fez com que Mike Tyson transformasse uma fortuna de US$ 400 milhões em uma dívida de US$ 23 milhões, forçando o ex-boxeador a declarar falência em 2003. Tudo por causa de problemas com o fisco, gastos excessivos em diversão e um divórcio que custou US$ 9 milhões.

 Evander Holyfield


Famoso por ter a orelha arrancada em uma luta contra Mike Tyson, Holyfield também passou por dificuldade financeira.  Torrou os US$ 230 milhões ganhos na carreira em pensões para 11 filhos, de seis mães diferentes. Chegou a leiloar bens preciosos como cinturões e luvas, além de mansões e carros de luxo. Se a riqueza não voltou mais, ele pode dizer que deu a volta por cima graças a seus filhos Evan e Elijah, que seguiram o caminho do pai no esporte.

Vitor Baía

O goleiro português que fez história no Barcelona e no Porto investiu em um hotel de luxo depois da aposentadoria e se deu mal. A obra foi embargada e, para piorar, o corretor se aproveitou de sua procuração para tomar parte de seus bens. Foi obrigado a se desfazer de todos seus bens para pagar dívidas incluindo uma mansão no Brasil. Sobrou apenas um automóvel Smart no seu nome.

Paul Gascoigne


Uma das maiores referências do futebol inglês nas décadas de 80 e 90, o ex-meia acumulou quase R$ 40 milhões ao longo da carreira, após passagens por clubes com Tottenham, Everton e Lazio. Mas o vício em álcool, as dívidas com o fisco e a exploração de usurpadores pulverizaram seu patrimônio. Recentemente, foi flagrado em situação degradante ao sair de casa para comprar bebida.

George Best

Antes de Gascoigne, outro jogador britânico já havia perdido sua fortuna por causa dos excessos. Astro do Manchester United entre as décadas de 60 e 70, George Best foi forçado a declarar falência nos anos 80. O motivo ele mesmo explicou, à sua maneira: “Gastei muito dinheiro em bebida, mulheres e carros rápidos. O resto eu desperdicei”.

Andreas Brehme
Autor do gol do título da Alemanha na Copa do Mundo de 1990 contra a Argentina, fez carreira no Kaiserslautern, Bayern de Munique, Internazionale e Zaragoza. Mas o dinheiro dos tempos de jogador foi mal administrado. Com uma dívida de 200 mil euros em empréstimos não quitados, ele chegou a receber uma proposta para trabalhar limpando banheiros.

Christian Laettner

Em 1992, quando jogava no Minnesota Timberwolves, o pivô (na foto com Michael Jordan) fez parte do histórico Dream Team dos Estados Unidos que faturou o ouro na Olimpíada de Barcelona. Ao longo da carreira, acumulou cerca de US$ 60 milhões. Hoje, com dívidas de R$ 47 milhões cobradas por cinco credores diferentes, sofreu falência involuntária. Até o ex-companheiro Scottie Pippen o processou por não pagar um empréstimo.

Marion Jones
 A atleta que foi obrigada a devolver as medalhas de ouro que ganhou na Olimpíada de Sydney, em 2000, e chegou a ser presa por causa de doping teve seu patrimônio sugado após o escândalo. Sua mansão de US$ 2,5 milhões foi confiscada, e ela passou a acumular multas por não comparecer a eventos e ser cobrada por despesas não pagas de treinamento.

Maradona

Em 2005, o ex-jogador argentino alegou ter ficado “sem um peso” por culpa de seu ex-representante, Guillermo Coppola. Anos depois, as autoridades italianas cobraram R$ 95 milhões de impostos não pagos da época em que ele jogou no Napoli, dívida que ele tenta renegociar enquanto alguns de seus bens, como brincos e relógios chegaram a ser confiscados durante suas visitas ao país.

Vieri

Em 2014, o ex-atacante italiano declarou falência de sua empresa por causa de uma dívida de R$ 50 milhões e revelou que tentaria a carreira de treinador para se recuperar financeiramente. O que se viu desde então? Ostentação pura no Instagram, onde ele posta fotos curtindo a vida. Será que ele está se endividando ainda mais?


Fonte: UOL Esporte

Nenhum comentário: