quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Aníbal defende manutenção do Rio Branco FC na Série C do Brasileirão

an__bal_diniz













Durante a sessão plenária do Senado na tarde desta quarta-feira, 26, o senador Aníbal Diniz (PT-AC) subiu a tribuna para prestar esclarecimentos a respeito da situação do Rio Branco Futebol Clube e informar sobre o acordo entre a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e o time acreano que desistiu de ação na justiça para se manter se manter no Campeonato Brasileiro da Série C. 

"O que aconteceu foi prejudicial ao Rio Branco Futebol Clube, mas chegamos a um acordo minimamente aceitável porque o Rio Branco é um time pobre e não tem condição de manter um litígio. Ainda que tenha todos os direitos e a justiça a seu favor, o Rio Branco achou por bem se submeter a esse acordo para não deixar a competição da Série C paralisada e também para não ter outras penalizações futuras", destacou o senador.

Mesmo lamentando a situação, para Aníbal o mais importante é que o futebol do Acre esteja presente no futebol nacional. "A forma de manter essa presença, é garantir que o Rio Branco esteja, em 2012, no campeonato brasileiro da Série C. O time se retira nesse ano de 2011, mas tem assegurada a sua participação, por pontos conquistados, no ano que vem", completou.

Na opinião do senador o Rio Branco foi extremamente injustiçado, uma vez que não litigou em matéria desportiva, mas foi o Governo do Estado do Acre que entrou na Justiça para assegurar o direito da realização dos jogos da Arena da floresta. "O Rio Branco Futebol Clube foi duramente penalizado por um crime que não praticou, por uma infração que não cometeu. E exatamente por isso, porque o seu defensor da Justiça, que estou aqui para defender o Rio Branco e lamentar que tendo acontecido tudo isso ao time mesmo estando em condições de disputar acesso a série "B", esteja nesse momento tendo que recuar e tendo que fazer um acordo para se manter na série "C" do ano que vem, porque senão a Justiça desportiva iria excluí-lo por completo", lamentou.

Ação do MPE foi irracional - Para o senador Aníbal o Rio Branco foi vítima de uma ação irracional do Ministério Público do Estado do Acre que considerou que o estádio Arena da Floresta não estava apto à realização de partidas de futebol. "Isso não é condizente com realidade do nosso estádio de futebol que estava em plenas condições, tanto é que realizamos quatro partidas na primeira fase do Campeonato Brasileiro da Série C sem nenhum incidente e, depois, fizemos uma partida na segunda fase do Campeonato Brasileiro da Série C", lembrou.

Ainda de acordo com ele, o Governo do Estado recorreu à justiça porque a Arena da Floresta é um patrimônio do Estado, construído com todas as especificações e exigências da Fifa, além de ser um estádio que atende integralmente às exigências do Estatuto do Torcedor.

Em aparte o senador Jorge Viana reconheceu o empenho do senador Aníbal e lamentou a situação. "Foi um mau exemplo de um membro do Ministério Público do Estado, nessa ação que beirou a irresponsabilidade, gerando uma situação que afeta uma das paixões nacionais e que faz com que haja uma ação, por parte da Federação Brasileira de Futebol, que prejudicou o Rio Branco. Acho que também é lamentável a postura da própria CBF", lamentou Jorge Viana que levantou também a necessidade de que o Congresso instale uma CPI. "Há dirigentes do futebol brasileiro que não querem a Justiça Comum perto deles. Essas as atitudes deixam explicito ao Brasil, País que vai sediar a Copa em 2014, que existe uma máfia do futebol instalada. Só o Congresso Nacional, para apurar e retirar das mãos desses "proprietários" o futebol brasileiro", disse.
Por fim, o senador Aníbal se solidarizou com os torcedores do Rio Branco.

Assessoria

Nenhum comentário: