terça-feira, 15 de maio de 2012

Mesmo com dívida de mais de R$ 400 mil, presidente do Náuas afirma que projeto continua


Em entrevista ao jornalista Nelson Liano, o presidente do Náuas, Zacarias falou sobre a decepção do time frente à sua torcida.
“É um momento triste, difícil. O time perde prestígio e popularidade junto à torcida. Todo mundo quer tirar uma casquinha. Temos que aguentar o pseudônimo de ‘Tabajara F.C.’ Mas um dia passa  esse nó na garganta e a gente segue em frente”, disse.
Zacarias explicou a difícil situação financeira vivida pelo time, que refletiu-se nos gramados. “O Náuas é virtual. Não temos nada, nenhuma estrutura. O que temos é um passivo (dívidas) de mais de 400 mil reais”.
Nas costas do “Cacique”
A maior parte das dívidas, segundo Zacarias Lopes são em restaurantes, hotéis e agências de viagem. Na gestão anterior, o time concordou em pagar as despesas das equipes da capital, que colocaram como condição para jogarem em Cruzeiro do Sul.
“O Náuas não tem nada, mas tem aquilo que nenhum outro time do Acre tem: uma popularidade e uma força gigantesca de uma torcida. Nenhum outro time no Acre consegue sozinho, cobrando 10 reais colocar por cinco vezes consecutiva mais de mil pessoas no estádio, sem propaganda. O Náuas é um fenômeno!”, exalta.
O “fenômeno” deve-se a um fato simples: o Náuas agrega em torno de si a identidade “juruaense”, com todos amores e ódios atávicos que isso pode significar, principalmente  perante aos times da capital.
No entanto, apesar da vitória de ter agregado uma torcida de fazer inveja aos times mais antigos de Rio Branco, em pouco mais de quatro anos, tem servido principalmente aos times visitantes que jogam na Arena do Juruá com as contas pagas pelo mais novo time do campeonato.
Segundo Zacarias, a folha de pagamento do Náuas é de 20 mil reais, mas os custos do campeonato são da ordem de 230 mil reais, valor superior à folha do Rio Branco (200 mil reais), time que tem as melhores condições financeiras do campeonato.
Vitórias
Mesmo na evidente derrota do time no campeonato, Zacarias aponta pequenas vitórias que devem ser comemoradas por um time jovem que ainda está se estruturando.
“Nosso técnico recebeu um convite para atuar em uma grande equipe da capital (Rio Branco). Tivemos o apoio voluntário de nutricionistas e fisoterapeutas (Dra. Lorena, Janaína e Samira) e apesar de todas as viagens, nossos atletas jogaram até o final, e não se teve notícia de uma câimbra sequer.”
Zacarias aponta divisões internas como um dos principais motivos para a derrota do time, mas promete continuar se empenhando.
“O ano de 2012 foi triste, foi sujo, mas agora estamos limpando. Eu quero servir o Náuas, não importa como. Se alguém quiser ser o presidente eu faço uma portaria. Nós temos esta torcida louca, maravilhosa. Temos que ser como os Índios Náuas que foram estes guerreiros destemidos. Queremos transformar o Náuas em um time igual ao Rio Branco ou superior, medir forças com a capital na desportividade. E se para isso for preciso a gente troca já de presidente, este é o nosso propósito. Nosso projeto está de pé”, finaliza.

Leandro Altheman do Site Juruá Online

Nenhum comentário: