quinta-feira, 3 de maio de 2012

STJD indefere recurso e Tourão irá à Justiça Comum









Araguaína questionava o acordo que atropelou a decisão do Pleno, excluindo o Rio Branco do brasileiro da série c
A novela envolvendo Araguaína, Rio Branco (AC), CBF e STJD deve ganhar  capítulos mais quentes nos próximos dias. É que o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) indeferiu na última sexta-feira o mandado de garantia com pedido de liminar pelo qual o time tocantinense questionava o acordo extrajudicial que substitui a sentença do Pleno do STJD, que tirou o Rio Branco (AC) da segunda fase e ainda o rebaixou para a Série D, em 2012.

Com isso, o presidente do Araguaína, Heli do Carmo, disse ontem que entrará com recurso até amanhã no STJD e, paralelamente, até o dia 10 vai ingressar na Justiça Comum. "A diretoria já decidiu e vamos lutar pelos nossos direitos assim como o Rio Branco fez e conseguiu. Nós vamos fazer o mesmo", revelou o dirigente afirmando que o clube irá até as últimas consequências.
Questionado se o clube iria disputar a Série D, o presidente revelou que não. Segundo ele, o lugar do Araguaína é na Série C. Caso o o clube tenha que participar da Série D, o Tourão do Norte fará parte do Grupo A-2, ao lado de Mixto (MT), Santos (AP), Comercial (PI) e Sampaio Correa (MA). Tanto o Brasileiro da Série C como o da Série D estão previstos para começar no dia 27 deste mês.


Advogado

De acordo com o advogado do Araguaína, Osvaldo Sestário, o relator do caso indeferiu o processo alegando que estava fora do prazo. Segundo ele, em novembro do ano passado já havia sido feito um acordo entre o Rio Branco (AC) e a CBF. Com isso, o Araguaína terá mesmo que disputar a Série D." Eles empurraram a questão com a brriga este tempo todo. E agora, prestes a começar a Série C, decidiram indeferir nosso pedido", ressaltou o advogado sem dar mais detalhes, alegando que estava em uma reunião em não poderia falar naquele momento.



Mandado

No último dia 19 de março, o advogado do Tourão do Norte, Osvaldo Sestário, deu entrada no STJD no mandado de garantia com pedido de liminar, questionando o acordo extrajudicial que substitui a sentença do Pleno do STJD que tirou o Rio Branco (AC) da segunda fase e ainda o rebaixou para a Série D, em 2012. Uma semana depois, o presidente do STJD, Rubens Approbato Machado, despachou para procuradoria, que na época disse que o órgão teria dois dias para devolver o processo ao presidente com a manifestação sobre caso. Fato que não aconteceu. Passados mais de 40 dias, só no dia 28 passado, é que houve o não do STJD.

Nenhum comentário: