segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Seleção da Série C tem artilheiro marcando 500 gols e lateral 'salvador'

Campinas, SP, 28 (AFI) - Neste domingo, o Campeonato Brasileiro da Série C definiu os últimos classificados às quartas de final, seguindo na luta pelo acesso à Série B. Como é de costume, alguns nomes se destacam em momentos decisivos. O Portal Futebol Interior faz a seleção da última rodada - 18.ª rodada - da primeira com os principais destaques.

São os casos do atacante vetarano Rodrigo Gral, que depois de passagens marcantes por Grêmio, Bahia, entre outros grandes clubes, encarou o desafio de brigar pelo acesso da Chapecoense. Neste sábado, marcou o gol de número 500 da carreira, que ajudou o time a golear o Tupi e carimbar a classificação às quartas.

Outro destaque foi o lateral-esquerdo do Icasa. Carlinhos chamou a responsabilidade diante do Paysandu, defendeu, atacou e foi premiado com o gol, que garantiu a classificação do Icasa às quartas de final.

Confira abaixo a Seleção de craques do FI:

Goleiro: João Paulo (Icasa) - Mesmo com as mudanças de treinadores no comando do Icasa, o goleiro nunca perdeu a titularidade. Neste domingo, esteve seguro e bem posicionado para ajudar a segurar a vitória, por 1 a 0, contra o Paysandu, que garantiu o time nas quartas de final da competição. Bolas aéreas e chutes de longe não quebraram a muralha formada por João Paulo.

Lateral-direito: Tiago Granja (Fortaleza) - O Fortaleza entrou com um time praticamente composto inteiro por jogadores reservas e por isso encontrou dificuldades contra o Guarany. Mesmo assim, alguns jogadores se destacaram e mostraram ser boas opções para o técnico Vica. Um deles foi Tiago Granja. Dominou o lado direito e ainda apareceu como elemento surpresa para abrir o placar, em um bonito chute na entrada da área.

Rodrigo Gral se emociona após vitória da Chapecoense
Zagueiro: Zezinho (Oeste) - Com muitos desfalques, o Oeste precisou aguentar a pressão do Madureira sob um forte calor em Itápolis. E conseguiu isso, auxiliado pela excelente atuação do zagueiro Zezinho. Passou segurança ao companheiro Everton substituindo Eduardo, e realizou desarmes precisos para garantir o empate. O Oeste encara o Fortaleza, nas quartas de final.
Zagueiro: Fernando Belem (Salgueiro) – Apesar do desastroso empate em 2 a 2 diante do Cuiabá, que culminou com o rebaixamento do Salgueiro para a Serie D, o zagueiro Fernando Belem foi um dos destaques. Em umas de suas descidas ao ataque, meteu cabeçada na trave. Na outra, a zaga do Cuiabá salvou em cima da linha.
Lateral-esquerdo: Carlinhos (Icasa) - O nome é Carlinhos, é lateral-esquerdo, mas não joga no Fluminense. Neste final de semana, o lateral-esquerdo Carlinhos que brilhou foi o do Icasa. Precisando da vitória, o Icasa contou com a grande atuação do lateral, que defendeu e atacou o Paysandu, sem medo de ser feliz. Em uma das oportunidades marcou o gol que deu a vitória e a classificação ao Icasa, que agora encara o Duque de Caixas.
Volante: Baiano (Brasiliense) - O veterano só não fez chover em Taguatinga. Com a experiência de ter atuado em clubes como Santos e Palmeiras, além da Seleção Brasileira, Baiano chamou a responsabilidade para si e comandou a vitória sobre o Vila Nova, por 4 a 2. Ele marcou dois, um deles em sua especialidade as cobranças de faltas, e ainda deu passe para outro. Apesar dos 34 anos, mostrou um vigor de garoto.

Volante: Juninho (Duque de Caixas) - Foi fundamental para o esquema tático de técnico Vinícius Eutrópio. Com a entrada de Juninho, o Duque reforçou a marcação e ainda ganhou uma opção a mais de ataque. Meia de ofício, Juninho foi utilizado como volante, neste sábado, a vitória contra o Caixas, por 2 a 1, mas ajudou o Duque a manter a postura ofensiva durante os 90 minutos.
Meia: Ricardinho (Macaé) – Além de terminar como líder isolado do Grupo B, o Macaé tem mostrado bons jogadores para o cenário nacional, Na vitoria por 3 a 1 sobre o Santo Andre, o meia Ricardinho fez um golaço, confirmando sua boa fase junto ao time carioca.
Meia: Athos (Chapecoense) - Desequilibrou no último jogo da Chapecoense, que dependia da vitória sobre o Tupi. O time catarinense não deixou por menos e goleou o rebaixado time mineiro, por 5 a 0. E Athos participou de três gols e marcou outro. Foi o melhor e mais decisivo em campo. A sua experiência pode ajudar a Chapecoense no mata-mata com o Luverdense, que vai valer o acesso para a Série B.
Atacante: Júnior Mineiro (Guarany) - Já rebaixado para a Série D do Brasileiro, o Guarany queria apenas se despedir de forma digna. Jogou de igual para igual com o Fortaleza e Júnior Mineiro foi o principal jogador do Cacique do Vale neste domingo. Arriscou pelo menos duas finalizações até ser recompensado com o gol de empate.
Atacante: Rodrigo Gral (Chapecoense) - A sua escalação foi contestada por parte da imprensa de Chapecó, porque ele não vinha jogando bem e, muito menos, marcando gols, que é a obrigação de todo atacante. Mas desta vez, ele não decepcionou. Começou jogando, sempre levou perigo ao adversário. Só que parecia fadado a ser perseguido pela má sorte, quando nos minutos finais do primeiro tempo fez uma jogada perfeita e a bola bateu no pé da trave. Mas ele avisou no intervalo:

"Tenho certeza de que o gol vai sair".

E saiu mesmo no segundo tempo. Foi um gol histórico, o de número 500 de sua carreira. Aos 35 anos, Gral começou a carreira no Grêmio, passou por Juventude, Flamengo e demopis se consagrou no futebol japonês. Na volta ainda defendeu muitos clubes, como Bahia e Santa Cruz. Agora voltou para a cidade de Chapecó, onde nasceu e começou a jogar bola. Lá ele quer encerrar a carreira.
Treinador, literalmente, salvou o Icasa
Técnico : Francisco Diá (Icasa)
Se a cidade de Juazeiro do Norte é a casa do milagreiro Padre Cícero, que arrasta romeiros de todo o Nordeste, agora todos devem também reverenciar a Francisco Diá, o técnico que pegou o time em crise, com problemas sérios administrativos, e o levou para a segunda fase, desbancando, entre outros, o poderoso Santa Cruz.
Diá assumiu o time porque sabia que o trabalho inicial, feito por Tarcisio Pugliese, tinha sido bom. O grupo de jogadores também era bom. O problema era mesmo administrativo, inclusive com a falta de pagamentos. A situação melhorou fora de campo, e dentro dele, Diá não deixou a peteca cair. Uniu o elenco, passou a vencer jogos importantes e chegou à classificação. Agora vai ter a chance, em dois jogos, de disputar a sua volta para a Série B, de onde caiu em 2011.
 
 
Agência Futebol Interior

Nenhum comentário: