terça-feira, 9 de agosto de 2011

"Revista Isto É" diz que Andrés Sanches é alvo da Polícia Federal


Segundo a revista empresários de futebol ouvidos em off pelo veículo de comunicação

São Paulo, SP, 08 (AFI) - O Corinthians de volta às páginas criminais dos jornais? Segundo a revista semanal ISTO É isto está prestes a acontecer. As suspeitas de envolvimento do presidente do Corinthians na compra e venda de jogadores, obtendo vantagens pessoais, deixou de ser apenas tema de conversa de sócios nas alamedas de Parque São Jorge, de acordo com a reportagem.
O texto aponta que estaria em curso uma investigação que apura o envio por Andrés Sanchez de dinheiro ilegalmente para o exterior. A reportagem, que também foi repercutida pelo diário Lance!, informa ainda que as ligações de Andrés Sanchez com Kia Joarabchian, o iraniano responsável pela extinta MSI, que manteve parceria com o Timão de 2004 a 2007 seriam íntimas e os jogadores do Corinthians negociados com o exterior (Jucilei, Dentinho, Elias, entre outros), teriam a participação de Kia que vive em Londres. A matéria de ISTO É é pesada. Lembra que Andrés Sanchez não tem ocupação fixa desde que se elegeu presidente do Corinthians e mantém padrão alto para quem não possui rendimento mensal conhecido. E mais: que o presidente teria estabelecido com Mano Menezes e o empresário Carlos Leite sociedade de fato em que os três ganhariam dinheiro na transação de jogadores. Isso explicaria a compra e venda frenética de atletas. Mais de 100 em apenas três anos! E sempre com a aprovação de Mano Meneses, a intermediação de Carlos Leite e o aval de Andrés Sanchez.
Segundo a revista empresários de futebol ouvidos em off pelo veículo de comunicação confirmaram a acusação. Os conselheiros vitalícios e candidatos a presidente do Corinthians no início do ano que vem, sucedendo Andrés Sanchez no comando do clube, Paulo Garcia e Osmar Stábile lamentaram o conteúdo da publicação.
Paulo Garcia apontou que sempre que informações de caráter pessoal que atingem o presidente do clube são veiculadas, isso acaba se refletindo na vida interna da agremiação: "a credibilidade da administração fica abalada. Preferia que não tivesse acontecido. Mas a imprensa tem o dever de investigar".
Já Osmar Stábile aponta para a existência de um círculo vicioso: "esperava que o Corinthians tivesse deixado as páginas policiais. Mas se tudo o que estiver escrito for verdade, a situação é muito pior do que quando o ex-presidente Dualib foi afastado".
A campanha política de Andrés Sanchez usou o slogan "transparência e modernidade". Foi um slogan criado por assessores raivosos do então candidato. O tempo e os desmandados da atual admnistração apontados pela revista podem revelar que o slogan não passava exatamente disso: de um slogan eleitoral. Como já se diz no Parque São Jorge, mudaram apenas as moscas. O açúcar continua o mesmo.

Nenhum comentário: