sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Caso "Rio Branco" pode render desfiliação do clube e até da CBF na FIFA


Arquivo/Site Justicadesportiva.com.br


Afirmação foi feita pelo presidente do STJD, Rubens Approbato, que destacou o poder da Justiça Desportiva
O imbróglio na Série C do Campeonato Brasileiro promete ganhar uma longa batalha judicial e desportiva. O caso que tem como protagonista o Rio Branco, do Acre, será levado à Fifa. E segundo o presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Rubens Approbato, a consequência dos atos do clube pode trazer prejuízos sérios não só ao Rio Branco como também ao futebol brasileiro e ao Estado do Acre. Todos eles podem acabar desfiliados por conta da interferência da Justiça Comum.

“É a Fifa que traça as regras internacionais do futebol e que são respeitadas por todos os países, inclusive pelo Brasil, porque quem não respeita é excluído pela Fifa, ou seja, cada um pode fazer o que quiser no seu país, mas no futebol tem que obedecer as regras da Fifa. Quem não quiser obedecer, não precisa, mas fica desfiliado”, explica Rubens Approbato.
O Rio Branco foi punido no STJD com a pena de eliminação da competição depois de ter ingressado, ao lado do Estado do Acre, na Justiça comum antes de esgotadas as instâncias da Justiça Desportiva, com o objetivo de obter uma cautelar autorizando a realização de jogos com público na Arena da Floresta, até então vetados por conta de recomendação do Ministério Público do Acre à CBF. Em seguida, após a exclusão, uma liminar da Justiça do Acre e do Rio de Janeiro determinou a reintegração do Rio Branco à Série C.
“O que pode acontecer, e isso é gravíssimo, é comprometer até a própria atividade no Brasil. A Fifa pode até desfiliar o Brasil porque não estar cumprindo as normas dela. É possível que não se chegue a esse exagero, mas pode acontecer de pelo menos desfiliar o próprio Estado do Acre, através de sua federação, ou o próprio clube. Espero que não chegue a este ponto, porque seria uma desgraça geral ter um clube ou um estado desfiliado da atividade que é a principal deste país”.
Rubens Approbato defendeu as medidas tomadas pela Justiça Desportiva, um poder previsto na Constituição Federal, e que tem sua autonomia perante os demais poderes.
“Antigamente você não sabia se ia ter jogo ou não, porque sempre chegava na sexta ou no sábado à tarde, e no plantão alguém entrava com uma medida e você não sabia o resultado. A Constituinte de 88 criou uma única justiça que não faz parte do Poder Judiciário, que é a Justiça Desportiva, e é Constitucional, ou seja, quem diz o Direito Desportivo não é a Justiça Comum, é a Justiça Desportiva, salvo se ela não cumprir as suas obrigações no prazo. Se ela cumprir, o que vale é a decisão da Justiça Desportiva”, concluiu o presidente do STJD.
A medida que colocou o Rio Branco de volta na disputa ainda é liminar, e o caso não transitou em julgado. O Luverdense/MT, que ficou sem a vaga na segunda e decisiva fase da Série C, promete buscar os seus direitos, e a competição pode entrar num beco sem saída. Ou pelo menos demorar a achar a saída.

José Geraldo Azevedo e Wellington Campos

No Justicadesportiva.com.br você acompanha as notícias do futebol brasileiro

2 comentários:

Gilson disse...

Essa matéria saiu primeiro na Rádio Clube do Pará, na verdade foi uma entrevista feita com esse tal de Rubens Appobato no programa Cartaz Esportivo.
Por que a rádio clube do pará tem tanto medo do Rio Branco? As matérias deles só falam em banir o Estrelão do futebol.
Esse estrelão incomoda mesmo alguns paraenses.
Se os paraenses têm medo da CBF, o Acre está dando uma lição de coragem para o Brasil ver.
Não sabemos o final dessa história, mas gora temos que ir até o final e mostrar que aqui no Acre temos coragem, pulso firme, garra, força, que não fugimos da briga, que não somos covardes...enfim, vamos mostrar para a CBF o que o Acre brigou para ser Brasil e que o Rio Branco também vai brigar até sair vencedor. Se alguém quer conseguir acesso tem que ser dentro de campo e não fora dele.
Força Estrelão, mesmo que você seja eliminado do futebol por alguns anos, o Acre todo sabe que você é inocente.
Seja feita a vontade de Deus, pois não cai uma folha se quer de uma árvore, se não for da vontade dele.

Marcelo Avelino disse...

Gostei Gilson! Parabéns pelo comentário, o que mais me dói, é saber que somos punido por uma praça maravilhosa de esporte que é o Estádio Arena da Floresta, e ver pessoas ser benefíciadas tendo praças esportivas piores do que o Arena da floresta, caso Luverdense e o tal Araguaína. Isso é de lascar! Eita Brasil porreta, Sede da próxima COPA DO MUNDO!