terça-feira, 17 de julho de 2012

Acea confirma realização do Prêmio Campos Pereira para dezembro

  
premio_campos_pereira_-_painel
Depois de passar a temporada 2011 em branco, a Associação dos Cronistas Esportivos do Acre (Acea) confirmou que irá realizar, nesta temporada, a 7ª edição do Prêmio Destaque Esportivo Campos Pereira. O evento é conhecido como o Oscar do Esporte local. De acordo com a direção da entidade, o prêmio volta a ser realizado após a divulgação durante a última semana dos projetos aprovados da Lei de Incentivo ao Esporte do Governo do Estado do Acre.
O Prêmio Campos Pereira chega a sua sétima edição buscando resgatar o charme de suas primeiras edições. Neste ano, a entidade conseguiu aprovar, na Lei de Incentivo, um total de R$ 9.910,00. O restante dos investimentos para a realização da áurea será comtemplado com investimento privado.
Neste ano, a festa do Oscar do esporte acreano está prevista para o início da segunda quinzena do mês de dezembro. O local ainda está indefinido, assim como os demais parceiros.

Na opinião de Francisco Dandão, da direção da Associação dos Cronistas Esportivos do Acre, o Prêmio Destaque Esportivo Campos Pereira, além de fazer justiça àqueles que vivenciam diariamente o desporto, vai fazer algumas homenagens especiais. "Nosso objetivo, além de valorizar a figura de Campos Pereira, será a de incentivar, a cada ano, o surgimento de novos talentos para o esporte acreano e, ao mesmo tempo, reconhecer a importância de pessoas que durante décadas se dedicaram à causa do desporto", comentou Francisco Dandão.

Quem é que leva o nome do prêmio

Campos Pereira, ou Campito, como era chamado pelos amigos, nasceu em junho de 1936, na cidade de Rio Branco. Foi jogador de futebol, técnico, presidente da então Federação Acreana de Desporto e um dos fundadores da Associação dos Cronistas Esportivos. Apaixonado pelo rádio-jornalismo, ele conquistou espaço na Imprensa, onde foi padrinho de muitos que hoje militam na área.
O radialista começou sua carreira nos fins dos anos 60, quando trabalhou na rádio Novo Andirá. No ano de 1974, a convite do jornalista Phelippe Daou, o diretor-presidente da Rádio TV do Amazonas, Pedro Paulo Menezes Campos Pereira, chega à TV Acre como o primeiro funcionário contratado para assumir a função de repórter e âncora do primeiro telejornal da emissora, tendo apresentado, também, o programa esportivo A Bola é Nossa.

Foi na época de Campos Pereira que a TV Acre gerou as primeiras imagens aos telespectadores no Acre e, justamente coube ao esporte o privilegio de ter as imagens na tela do televisor. A data foi junho de 1974, quando a emissora fez sua primeira transmissão, apresentando imagens gravadas, ou seja, ainda através de fitas, oriundas de Manaus, da Copa do Mundo de Futebol.

Nesta época, um fato curioso e, ao mesmo tempo histórico, foi a improvisação que fora implantada para alcançar os telespectadores. A chegada da nova Rede de Televisão surpreendeu a população local, que, na sua maioria, não possuía aparelho de televisão. Para difundir mais rapidamente, a emissora que acabara de chegar, criando, ainda, o acesso de um maior número de pessoas, as primeiras transmissões tiveram como palco a praça pública.

O diretor, senhor Tufic Assmar, e o radialista Pedro Paulo Menezes Campos Pereira, transportavam e instalavam dois aparelhos de televisão na esplanada do Palácio Rio Branco, onde os receptores ficavam ligados para o público, sendo exibidos, desta forma, os tapes dos jogos da Copa do Mundo de Futebol, sempre do dia anterior.

Sempre saudosista, Campos Pereira falava aos amigos com brilho nos olhos sobre a primeira transmissão ao vivo da história da televisão no Acre: a Copa do Mundo de 1974.
Apesar de ter jogado nos principais clubes da cidade, Campos Pereira tinha paixão pelo Rio Branco FC, também tinha grande admiração por duas equipes do futebol nacional: Fluminense FC e Corinthians. Seus comentários eram sinceros e polêmicos. O jornalista fez história não apenas no jornalismo esportivo, mas também no policial e político. Fez cobertura de jogos do Campeonato Brasileiro e também da Seleção Brasileira, além de cobrir visita de vários presidentes em solo acreano.
Pedro Paulo Menezes de Campos Pereira morreu dia 27 de junho de 2004, aos 67 anos, de insuficiência pulmonar, quando então era comentarista da Rádio Difusora Acreana. Era casado com Dona Zilma e tinha oito filhos.

Nenhum comentário: