quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Jornalismo no rádio: o que você precisa saber


Reconhecido como um dos veículos que tem a cobertura mais imediata, o rádio figura entre as redações que mais oferecem espaço para jornalistas. Isso porque, nos últimos cinco anos, o número de emissoras subiu para 687 FM e 79 AM, o que representa 36% entre 2005 (quando havia 1.915 emissoras) e 2010 (2.602), segundo a Abert.
Magaly_prado
A jornalista Magaly Prado começou a trabalhar com rádio nos anos 80 (Imagem: Reprodução/ Magaly Prado)
No embalo do lançamento do livro ‘História do Rádio no Brasil”, o único compilado sobre os 90 anos da plataforma no país, a jornalista e professora da ESPM, Magaly Prado, falou sobre pontos importantes para quem deseja trabalhar nesta área.
Precisa saber se expressar: “É importante manter uma linguagem clara e objetiva. Falar de uma forma mais coloquial, ter um bom ritmo, texto pontuado e sempre respeitando a respiração”.

O discurso precisa ser bem transmitido: “As palavras sempre devem ser curtas e diretas, sem ler ou fingir que está lendo. Leia bem o texto antes de apresentá-lo no ar”.

O conteúdo bem embalado: “Ele precisa estar de acordo com o tema. Precisa ter cuidado com o som e a passagem sonora para que as pessoas possam entender o que está sendo dito”.

Uma boa apuração jornalística: “ É importante fazer a sua própria apuração. Apurar as notícias com uma equipe de jornalistas, ter fontes próprias ou material informativo de agências de notícias especializadas”.

Entrevistar pessoalmente: "Elas rendem muito mais quando está cara a cara com o entrevistado. A conversa flui de forma descontraída”.

Rádios Comunitárias: “Produzi-las é tarefas pela qual todos deveriam passar no começo da carreira. Ela dá parâmetros de experiência para quando o radialista ingressa em uma emissora comercial. É uma verdadeira escola de rádio”.

Além dessas dicas, Magaly reúne outros pontos no livro “Produção de Rádio – Um manual prático”, que aborda com detalhes os diferentes programas e produtos, até formatos, conteúdo, produção,pós-produção e perspectivas voltados para rádio.
Sobre o especial com os 90 anos do rádio, a publicação apresenta uma linha do tempo com dados históricos, datas e o perfil dos radialistas mais marcantes da história. A segunda edição do livro está prevista para o ano que vem. A jornalista revelou que ele será composto por depoimentos publicados em um sistema interativo dentro do próprio site dedicado à obra.
 
Priscila Fonseca    (Comunique-se)

Nenhum comentário: